Empréstimo para empresas pequenas vale a pena?

Para manter uma empresa, é necessário ter capital de giro — nesse caso, adquirir crédito pode ser útil

Qualquer empresa, por mais que venda um produto genial ou preste um serviço essencial para a sociedade, precisa de dinheiro para conseguir se manter. Nesse sentido, adquirir um empréstimo para empresas pequenas pode ser uma necessidade do empreendedor que está começando um novo negócio.

Veja algumas opções de crédito fácil para empresas de pequeno porte no post da Melhor Taxa abaixo!

A importância do capital de giro para as empresas

Para uma empresa se manter, é necessário que ela tenha um certo capital de giro — ou seja, dinheiro em caixa. O pagamento de salários e impostos da companhia, por exemplo, devem ser pagos a partir desse montante. Reformas no estabelecimento e até mesmo a reposição do estoque — caso haja — também são situações em que o capital de giro deve cobrir.

 

No geral, qualquer recurso financeiro da empresa que possa ser facilmente — leia-se: de forma rápida — convertido em dinheiro vivo é considerado parte do capital de giro. É necessário que todo empreendedor tenha conhecimento sobre esse conceito, a fim de manter sempre estável a saúde financeira da sua empresa.

A necessidade do capital de giro é ainda maior no caso de microempresas. Sendo uma companhia pequena e sem grandes estruturas, é importante que haja, ao menos, o suficiente para impedir uma eventual falência ou processos na justiça por falta de pagamentos. Em empresas grandes, situações assim tardam a causar efeitos colaterais realmente graves.

 

Nesse sentido, adquirir um empréstimo para empresas pequenas para manter em ordem seu capital de giro pode ser uma boa opção. Ainda mais no começo da companhia, quando sobra vontade e, normalmente, falta dinheiro, recorrer ao crédito para empresas pode ser um diferencial.

Como conseguir um empréstimo para empresas pequenas?

Antes de sair procurando empréstimo para empresas pequenas, é preciso saber que, independentemente do valor das taxas, o empreendedor deverá estabelecer um planejamento financeiro. O crédito adquirido terá de ser amortizado junto ao banco — isso sem falar nas taxas de juros e nos outros encargos envolvidos no processo.

 

Existem algumas modalidades de empréstimo para empresa que podem ser interessantes para qualquer microempreendedor que deseja manter e evoluir o seu negócio. Confira abaixo três opções:

1- Microcrédito

O microcrédito é uma modalidade de empréstimo que visa incentivar a produção por parte dos pequenos empreendedores. Feito em parceria com o governo, essa linha de crédito costuma oferecer valores relativamente altos para microempresas, além de taxas que, com planejamento e de dedicação na quitação da dívida, cabem no bolso do empreendedor.

 

Qualquer empréstimo on-line — outra modalidade que, por mais que não seja voltada diretamente para empresas, pode ser uma opção viável — concede à pessoa física um montante, no máximo, próximo aos R$ 10 mil. O microcrédito, no entanto, consegue chegar em até o dobro disso.

 

No entanto, saiba que, por mais que seja possível adquirir de R$ 15 a 20 mil em uma operação de microcrédito, não necessariamente o credor liberará tal montante de forma fácil. Além disso, os prazos de pagamento nem de perto se equiparam com um empréstimo bancário, por exemplo. No geral, em até dois anos a dívida deverá estar quitada.

2- Sistema P2P de empréstimo

Outra forma de conseguir um empréstimo para empresas pequenas, o sistema peer to peer — ponto a ponto, em tradução livre para o português — se mostra uma opção inovadora. Prezando por menos burocracia, o P2P funciona sem a intermediação de nenhum tipo de instituição financeira, sendo feito majoritariamente entre investidores e pessoas que necessitam de crédito.

 

No modelo tradicional, uma pessoa acaba injetando seu dinheiro nos bancos, esperando que, em algum momento, aquilo dê um bom retorno. No entanto, devido a todos os custos impostos pelas instituições financeiras, o investimento acaba não sendo dos mais vantajosos.

 

Nesse sentido, utilizar empresas P2P para realizar o empréstimo para alguém interessado em adquirir o crédito se torna uma opção mais rentável. Enquanto o investidor obtém uma remuneração mais alta, a pessoa que adquirir o empréstimo também se verá em uma situação mais confortável e flexível de pagamento.

3- Refinanciando o seu imóvel

Por fim, o empreendedor que possuir um imóvel pode optar por refinanciá-lo junto a alguma instituição financeira para conseguir taxas mais atrativas que as outras opções e um valor de crédito elevado — nesse caso, bem maior do que as outras duas opções. Tal modalidade basicamente consiste em um empréstimo com garantia de imóvel.

Por ser um bem com alto valor de mercado, a casa ou o apartamento do cliente dado como garantia faz com que o banco conceda um montante de crédito similar. Como dito anteriormente, as outras opções de empréstimo para empresas pequenas propiciam não muito mais do que R$ 20 mil — e apenas em alguns casos.

Com um prazo de pagamento que pode chegar em até 20 anos, para melhorar ainda mais essa operação, uma boa ideia é contratar a proposta com a melhor taxa do mercado para o seu perfil — e nós a achamos para você! Solicite um refinanciamento de imóvel em nosso site e comece a investir na sua empresa!

 
Compartilhe

Veja Também