5 dicas de como conseguir financiamento imobiliário

Saiba como conseguir financiamento imobiliário com as menores taxas do mercado de acordo com seu perfil!

Adquirir uma propriedade por meio do financiamento imobiliário é uma das melhores soluções para quem deseja fazer um bom negócio. Antes de dar entrada em um imóvel, porém, é muito importante se planejar financeiramente e verificar quais instituições possuem condições favoráveis enquanto estiver pagando todas as prestações.

Durante a solicitação do crédito imobiliário, é possível fazer uso de diversos recursos, como o FGTS, no momento de dar entrada ou amortizar o valor do empréstimo. Conheça algumas dicas sobre como conseguir financiamento e escolher a instituição financeira com as menores taxas de juros do mercado!

?

1- Planeje-se e verifique qual imóvel é compatível com sua renda

Se planejar financeiramente antes de dar entrada em um novo imóvel é essencial para você conseguir organizar suas finanças. Diante disso, uma das dicas é economizar parte de sua renda todos os meses e investi-la em alguma aplicação, como o CDB e o LCI, capazes de render altos índices de juros.

Cortar gastos desnecessários é outra sugestão caso queira poupar dinheiro. Dessa forma, ao comprar quaisquer produtos, de preferência, faça uso do cartão de débito ou boleto bancário. Como se sabe, cartões de crédito e cheques especiais são os principais vilões do endividamento.

Além disso, tenha em mente que as parcelas do crédito para financiamento imobiliário não podem ultrapassar 30% do total de sua renda mensal. Por exemplo: caso seu salário seja de R$ 5 mil, o ideal é pagar, no máximo, R$ 1,5 mil por mês.

2- Saiba quando e como usar o FGTS

Dependendo da situação, é possível fazer uso do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) durante o financiamento, seja para dar entrada no imóvel ou quitar parte do empréstimo. No entanto, fique atento às regras de utilização desse benefício:

  • o bem precisa estar situado no mesmo município onde o futuro proprietário reside atualmente;
  • mesmo não consecutivo, é preciso ter trabalhados por, pelo menos, três anos com carteira assinada sob regime CLT;
  • o FGTS consegue quitar em até 80% o valor de cada parcela durante doze meses;
  • não é possível usar esse benefício caso já tenha alguma propriedade registrada em seu nome;
  • o FGTS será liberado apenas quando for feito o registro do imóvel no cartório;
  • o requerente não pode ter nenhum empréstimo ativo por meio do SFH (Sistema Financeiro da Habitação) em todo o Brasil;
  • se você usou o FGTS em outro financiamento nos últimos três anos, não será possível usar esse benefício;
  • imóveis com valor acima de R$ 500 mil não podem ser quitados com o FGTS,
  • mesmo se você estiver com o nome no Serasa, será possível desfrutar desse benefício.

3- Verifique as condições do programa Minha Casa Minha Vida

O programa Minha Casa Minha Vida, da Caixa Econômica Federal, é um dos mais usados pelos brasileiros durante o financiamento imobiliário por conta de suas inúmeras facilidades. Por meio dele, é possível adquirir uma propriedade de até determinado valor com taxas de juros reduzidas. Conheça algumas de suas normas:

  • somente pessoas maiores de 18 anos podem participar desse programa;
  • a renda mensal familiar precisa estar entre um e dez salários mínimos;
  • não ter o nome sujo no SPC ou no Serasa,
  • não ser proprietário de nenhum imóvel em qualquer estado brasileiro.

4- Conheça os sistemas de amortização existentes

Considerando o valor de cada parcela, os juros cobrados mensalmente e demais encargos, é preciso saber qual tipo de amortização você deseja contratar para o financiamento. Hoje, no Brasil, existem três modelos muito usados capazes de te ajudar a manter um bom equilíbrio financeiro. Confira!

  • SAC (Sistema de Amortização Constante): nesse modelo, as primeiras parcelas do financiamento tendem a ter um maior valor e, no decorrer dos meses, acabam se barateando. O cálculo de financiamento desse modelo é feito da seguinte forma: os juros são mais elevados no início e vão diminuindo no decorrer do tempo;
  • Sacre (Sistema de Amortização Crescente): ocorre quando as parcelas de um financiamento começam com um valor baixo e vão aumentando até chegar na metade do empréstimo. A partir daí, elas começam a decair novamente até a última prestação,
  • Tabela Price: por fim, o Price permite com que todas as prestações do financiamento tenham um mesmo valor. Apesar disso, no início, as parcelas serão compostas basicamente pela amortização; enquanto no fim, o predominante será os juros.

5- Saiba qual instituição financeira possui o melhor crédito

A última dica é pesquisar qual instituição financeira possui as melhores vantagens ao seu bolso. Nessa tarefa, conte com a ajuda especializada da equipe da Melhortaxa de forma gratuita e em todas as etapas do financiamento.

Fazendo um cadastro em nosso site, iremos traçar seu perfil e verificar quais as melhores oportunidades ao seu bolso. Assim, fica muito mais fácil solicitar um empréstimo, pagar parcelas com juros menores e dar entrada em novo imóvel.

Veja Também