Como funciona o cheque especial?

Dado ao cliente sem a necessidade de comprovar renda, modalidade possui um dos juros mais altos do mercado

Ao abrir um conta no banco, é comum a instituição financeira conceder um montante de crédito junto ao saldo do cliente. À primeira vista, parece ótimo — no entanto, ao entender como funciona o cheque especial, é provável que o consumidor evite utilizar essa “reserva”.

 

Confira o post da Melhor Taxa abaixo para entender melhor do que se trata o cheque especial e quais as suas características!

O que é o cheque especial?

O cheque especial funciona como  um “saldo a mais” concedido pelos bancos ao cliente no ato da abertura da conta — muitas vezes sem nem avisar o consumidor. Essencialmente, esse crédito é tido como uma espécie de reserva para a conta em questão. Assim, quando algum pagamento ou saque é feito e o cliente não possui saldo suficiente, é retirado dinheiro do cheque especial.

Por que os juros são tão altos nessa modalidade?

A ideia de possuir um crédito como reserva da conta corrente parece, realmente, um bom negócio. No entanto, o cheque especial possui uma certa característica que não o torna tão atrativo assim: os juros altos — altíssimos, para falar a verdade. Beirando os 12% ao mês — as taxas, ao ano, de um financiamento imobiliário —, o cheque especial tem um dos juros mais caros do mercado.

 

Sendo liberado automaticamente ao cliente, sem a necessidade de comprovar renda ou sequer dar o parecer de que conseguirá arcar com uma eventual dívida do cheque especial, os bancos não possuem garantia de pagamento.

No financiamento, por exemplo, o consumidor precisa apresentar seus ganhos, dando uma boa ideia às instituições financeiras do quão possível será a adimplência dele. Tendo garantias, os juros, naturalmente, caem. No caso do cheque especial, os bancos tentam compensar as incertezas colocando as taxas nas nuvens.

 

Com isso, não atrasar os pagamentos, caso esse crédito seja utilizado, é essencial para evitar que o consumidor arque com juros exorbitantes.

Vantagens e desvantagens do cheque especial

Independentemente dos valores envolvidos, ter um dinheiro a mais disponível na conta bancária pode ser útil em várias ocasiões. Pagar uma conta a mais ou comprar algo necessário para o mantimento da própria casa são dois exemplos de situações que podem aparecer e, em caso de falta de dinheiro, o cheque especial está lá para ajudar.

 

Para facilitar a vida dos clientes que optam por utilizar o crédito, as instituições não colocam nenhuma burocracia para o uso do montante. Liberado automaticamente quando a cota é aberta, o cheque especial está lá, pronto para ser usado a qualquer momento — sem a necessidade de aprovação de nenhum credor ou coisa do tipo.

 

No entanto, quem entende como funciona o cheque especial sabe que o juros são altíssimos, e isso pode acarretar em alguns problemas de crédito no futuro. Caso utilize o montante, a recomendação é que o débito seja quitado o quão antes — evitando, assim, a possibilidade de um inadimplência.

 

Devido ao valor do juros do cheque especial, caso o cliente não possua condições de arcar com a dívida sem ter de apertar muito as contas mensais, recomenda-se que outra modalidade de crédito mais barata seja buscada.

Quando devo utilizar o cheque especial?

Tendo em vista como funciona o cheque especial, antes de pensar em qual situação esse crédito pode ou deve ser utilizado, é preciso ter a clara noção dos valores envolvidos. Ter uma “reserva” de dinheiro é atrativo, no entanto, caso ele seja utilizado de forma que, depois, fique difícil de pagar, as dívidas e os juros não serão nada agradáveis.

Sabendo de tudo isso, definir como usar o cheque especial é uma tarefa que vai mais do cliente estabelecer um planejamento pessoal quanto a esse crédito. No entanto, emergências, por exemplo, são ocasiões que, com certeza, o cheque especial pode ser útil.

Exemplo: algumas situações hospitalares costumam possuir um valor elevado, e, caso um parente ou alguém próximo — circunstância que, certamente, é considerada como urgência — tenha que passar por isso, o cheque especial ajuda a cobrir os custos.

Uma boa opção para quitar a dívida do cheque especial!

Considerar emergências como situações em que o cheque especial pode ser utilizado é importante, mas, para qualquer outra oportunidade, o ideal, na maioria das vezes, é que esse crédito não seja utilizado. A não ser que a pessoa possua plenas condições de quitar a dívida sem atraso, é melhor buscar outras alternativas nesse caso.

 

Caso a pessoa opte pelo cheque especial e, posteriormente, contraia um débito mais pesado por causa dos juros, uma forma de escapar disso é trocar as dívidas. Adquirir um empréstimo com garantia de imóvel, por exemplo, é uma boa ideia. Dessa maneira, os juros do cheque especial serão quitados, e o consumidor passa a pagar taxas mais brandas do refinanciamento.

 

No entanto, para melhorar ainda mais a troca de dívidas com a contratação de um refinanciamento de imóvel, conseguir a melhor taxa do mercado para o seu perfil é um ótima ideia — algo que fazemos para você! Responda o formulário presente em nosso site e quite a suas pendência com o crédito do refinanciamento!

 
Compartilhe
Veja Também