5 cuidados na portabilidade de crédito imobiliário

Antes de solicitar uma portabilidade, fique atento a alguns cuidados que você precisa ter durante esse processo

A portabilidade de crédito imobiliário permite uma negociação do pagamento de dívidas entre uma pessoa e demais instituições bancárias. Geralmente, isso acontece quando o credor atual não oferece mais condições capazes de incentivar o credor a continuar pagando sua dívida com ele.

Contudo, caso queira solicitar esse serviço, é muito importante conhecer algumas dicas que irão te ajudar a saber mais sobre seus direitos durante a portabilidade de crédito. Confira mais informações e descubra os motivos pelos quais a Melhortaxa te ajuda a encontrar a instituição financeira com os menores juros do mercado!

1- Ao trocar de banco, não considere apenas as taxas de juros mais atrativas

Muitas vezes, interessados em fazer a portabilidade se preocupam apenas com os juros menores oferecidos pelas demais instituições. Contudo, antes de fechar negócio com outro banco, tente negociar com o atual e tentar chegar em um acordo favorável a ambas as partes, principalmente sobre o valor de cada parcela.

Mas, caso queira fazer a portabilidade de financiamento, atente-se, pois as parcelas não são compostas apenas pelo valor somado aos juros. Existem algumas despesas que podem acabar fazendo o banco novo ser menos vantajoso. Por isso, verifique o CET (Custo Efetivo Total) de todos os encargos antes de fechar negócio.

Ao entrar em contato com a Melhortaxa, fazer a portabilidade com a instituição detentora das melhores condições fica mais fácil. Nossos profissionais irão consultar a situação atual da sua dívida e, a partir disso, verificar qual instituição possui o CET mais favorável de acordo com seu perfil.

2- Não deixe a instituição financeira cobrar algum valor para fazer a portabilidade

O processo de portabilidade de crédito imobiliário não deve ser cobrada do cliente, de acordo com a regulamentação feita pelo Banco Central do Brasil em 2006. Caso isso ocorra, a pessoa deve imediatamente procurar o Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) e denunciar a instituição financeira.

Além disso, nenhum gasto envolvendo a transação da dívida de um banco para outro pode ser cobrada. Entretanto, alguns bancos podem requerer uma nova avaliação do imóvel financiado com valores atualizados que acabam por deixar a portabilidade desvantajosa.

3- Nenhuma instituição pode te impedir de fazer a portabilidade

Mesmo você tendo conta corrente aberta em um banco, nada te impede de migrar sua dívida para outro com opções mais vantajosas. Por esse motivo, caso alguma instituição decida suspender seu cheque especial e cartão de crédito, a prática deve ser imediatamente denunciada.

Em outras palavras, você não é obrigado a terminar de pagar sua dívida com o banco no qual possui conta, caso ele não ofereça condições favoráveis ao seu bolso. Assim, mesmo você transferindo seu débito à outra instituição, a anterior não tem o direito de deixar de oferecer seus serviços ao cliente.

Ainda, exceto em situações envolvendo depósitos, o novo banco não pode te obrigar a abrir uma conta corrente apenas porque irá acolher sua dívida. Assim como o item acima, essa prática também não é considerada legal perante a resolução nº 3.401/2006 do CMN (Conselho Monetário Nacional).

4- Atente-se quanto ao prazo final de pagamento

Ao solicitar a portabilidade de financiamento imobiliário, o cliente não pode pedir para o prazo final de pagamento da dívida e o número de parcelas ser alterado. Isso vale às pessoas que querem diminuir ou aumentar a quantidade de prestações a serem pagas ao longo dos meses.

Por exemplo: se no banco atual ainda restam 72 parcelas a serem quitadas, no novo, essa quantidade fica inalterável. Além disso, caso você queira usar recursos do FGTS (Fundo de Garantia), a instituição bancária fica proibida de aumentar o valor total da dívida e o prazo de pagamento.

5- Em caso de desistência, saiba até quando é possível cancelar a portabilidade

Quando a portabilidade é solicitada, o banco atual tem um prazo de até dois dias úteis para passar suas informações à nova instituição. Essa mesma data limite vale caso o devedor mude de ideia e cancele o processo, deixando o pagamento da dívida correr normalmente.

Agora, caso a pessoa queira mesmo fazer a portabilidade, a instituição financeira atual tem o prazo de cinco dias úteis para apresentar uma contraproposta ao cliente. Caso ela seja recusada, é dado continuidade no processo e a dívida é transferência ao novo banco.

Fazer a portabilidade de crédito imobiliário exige uma pesquisa completa sobre qual instituição oferece condições melhores em relação à atual. Por isso, conte com os serviços da Melhortaxa, que irá oferecer assistência gratuita durante todo esse processo, desde o traçamento do seu perfil até o fechamento do negócio. Faça já uma simulação!

Veja Também