Com queda da Selic, crédito imobiliário ganha força novamente

Pesquisa da Melhortaxa aponta a expectativa para compra de imóveis e a velocidade de repasse das taxas

Pela décima vez seguida, o Banco Central (BC) baixou os juros básicos da economia e a taxa Selic sofreu uma redução de 0,5%, de 7,5% em outubro para 7,0% em dezembro. É o patamar mais baixo da história da Selic; a última vez que chegou perto deste valor foi entre 2012 e 2013, a 7,25%. A decisão já era esperada pelo mercado e acompanha os demais cortes de 1 ponto percentual por reunião do Copom até a reunião de outubro, quando a redução foi de 0,75%.

Porém, como a queda da Selic pode influenciar a decisão de comprar um imóvel?

Rafael Sasso, co-fundador do site Melhortaxa, explica que por conta dessa redução, os juros cobrados para aquisição de um imóvel baixaram e o crédito imobiliário voltou a crescer. “Um estudo recente do Melhortaxa mostrou que as quedas dos juros permitiram que o brasileiro fosse capaz de comprar, com a mesma renda, até 40m² a mais em algumas cidades”, diz Sasso.

Isso acontece porque os bancos passam a oferecer melhores condições de financiamento e o tomador é capaz de pegar um empréstimo maior conforme os juros caem. Assim, a renda do cliente é valorizada e os limites para o valor da parcela aumentam. Por este motivo, é muito importante este movimento de queda dos juros e os bancos repassarem as reduções de taxas cobradas para que a capacidade de compra dos brasileiros aumente.

Como a redução na taxa de juros vai impactar no financiamento da casa própria?

Por exemplo, uma família que terá um novo bebê decide mudar para um apartamento com dois quartos. Até então, eles não estavam encontrando o imóvel porque os financiamentos aprovados não permitiam esse cômodo extra. Agora, com o novo cenário de 2017, começa a se tornar possível para essa família pesquisar e encontrar o melhor financiamento a uma taxa adequada para a compra desse apartamento. 

Ao longo do ano o Copom baixou a taxa básica de juros da economia brasileira (Selic) de 13,75% para 7,0%. De acordo com estimativa da Melhortaxa, a velocidade de redução dos principais bancos do país foi de, em média, 1,16 mês até o terceiro trimestre. Ou seja, em geral, em pouco mais de um mês após a queda da Selic, já foi possível perceber essas reduções dos juros nos bancos. 

No entanto, o cenário está mudando e vai afetar diretamente quem deseja financiar um imóvel. A relação entre o preço dos imóveis e as melhores opções de crédito imobiliário está estável, pois as taxas não estão caindo mais com previsibilidade. Por isso, o momento é favorável para a aquisição de um imóvel financiado. “Como não se pode mais prever a queda nas taxas a curto prazo e levando em conta o atual preço, o final do ano é uma ótima oportunidade para fazer uma aquisição imobiliária por meio de um financiamento”, explica Sasso.

Buscando financiamento imobiliário? A Melhortaxa compara as taxas das maiores instituições financeiras do país e indica a melhor opção de financiamento para seu perfil financeiro, sem cobrar nada por isso. Faça já uma simulação!

 

 

 

Compartilhe

Veja Também