Entenda o atual panorama no mercado imobiliário

O início do mês de maio foi marcado pelo anúncio de três novas medidas da Caixa Econômica Federal. A ação decorre da falta de recursos na sua principal fonte, o Sistema Brasileiro de Poupanças e Empréstimos (SBPE). E as mudanças impactam diretamente aqueles que buscam por um financiamento imobiliário. Conheça as restrições anunciadas:

- Imóveis novos: o limite de financiamento passa a ser de 80% do total do valor do imóvel

- Imóveis usados, enquadrados dentro do Sistema Financeiro de Habitação (imóveis cujo valor não supere R$ 750 mil em Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal; nos demais Estados, o teto é de R$ 650 mil): o limite de financiamento passa a ser de 50% do valor do imóvel

- Imóveis usados, enquadrados dentro do Sistema Financeiro Imobiliário (imóveis cujo valor supere R$ 750 mil): o limite de financiamento passa a ser de 40% do valor do imóvel

De maneira objetiva, para aqueles que buscam um financiamento de imóvel usado com a Caixa Econômica Federal, será necessário dispor de 50% a 60% do valor do imóvel para dar de entrada. O que, em curto prazo, pode ser inviável para o comprador.

Responsável por 70% das concessões de crédito voltado para a compra de imóveis, a CEF criou uma expectativa no mercado em relação aos clientes que passarão a pesquisar as taxas com outras instituições financeiras que operam com essa linha de crédito. As diferentes condições de financiamento se basearão, especialmente, no score do cliente (nota atribuída ao cliente, de acordo com seu perfil e histórico bancário).

Este é o momento de agilizar a compra de um bem imóvel. Com a considerável diminuição de busca por crédito imobiliário e a consequente diminuição do dinheiro disponível para a compra, os vendedores estarão mais abertos a negociações. Neste contexto, é importante que o tomador de crédito esteja bem assessorado no momento de solicitar o empréstimo (obtendo orientação na composição da renda e na apresentação adequada dos documentos exigidos).

O panorama ressalta a importância de uma pesquisa minuciosa na escolha do banco para iniciar o processo de obtenção de crédito.  “Ainda não temos como prever se os demais bancos adotarão as mesmas medidas que a Caixa ou de quanto seria o aumento, caso ocorresse. Por isso, é interessante que os compradores estejam dispostos a procurar cuidadosamente por uma boa oferta”, explica Rafael Sasso, mestre em finanças e diretor da Melhortaxa.

Caso, no médio prazo, as taxas voltem ao patamar anterior, o comprador pode recorrer à portabilidade. A operação consiste em dar aos clientes a oportunidade de reduzir a dívida através da busca por melhores taxas de juros em outros bancos. O único impeditivo para a utilização do recurso é que o imóvel não esteja na planta ou em construção.

A Melhortaxa tem o objetivo de auxiliar seus clientes na busca pela melhor tarifa de financiamento imobiliário e orientá-los durante todo o processo de obtenção de crédito até a entrega das chaves. Tudo isso de maneira rápida, clara e, o melhor, gratuita. Não perca tempo e entre em contato com um de nossos especialistas em crédito imobiliário para tirar todas as suas dúvidas e encontrarmos a melhor estratégia para o seu perfil bancário!

Buscando financiamento imobiliário? A Melhortaxa compara as taxas das maiores instituições financeiras do país e indica a melhor opção de financiamento para seu perfil financeiro, sem cobrar nada por isso. Faça já uma simulação!



  • Entenda o atual panorama no mercado imobiliário

Compartilhe

Veja Também